Quem sou eu

Minha foto
Estudiosa das Tradições e Espiritualidade Femininas, Mitos, Contos de Fadas, Eco-feminismo e outros temas ligados ao Universo das Mulheres. Uma das precursoras e divulgadora da cultura celta e divino feminino no Brasil (há cerca de 17 anos desenvolve trabalhos na área). Em 1999, esteve na Irlanda onde teve a oportunidade de visitar e vivenciar os locais sagrados de nossos ancestrais celtas. Integrante de Tradições Espiritualistas, dentre elas: Druídica (por Emma Restall Orr - Inglaterra) e Alexandrian (por Edmundo Pellizari) e Xamânica Celta (John Matthews - Inglaterra) Nas ARTES: Praticante da Sagrada Dança do Ventre e Yoga. Atualmente estuda o estilo TribalFusion Bellydance. Cantora, baterista e guitarrista.

segunda-feira, junho 21, 2010

Ganesha e sua Sabedoria

Um de meus Deuses preferidos, Ganesha é uma divindade que nos inspira com sua força e doçura.
A análise abaixo foi muito feliz em afirmar a dualidade entre Razão e Emoção. Ah, como será lindo o dia em que filosoficamente a emoção será reconhecida como parte essencial da Sabedoria aqui no ocidente também!
bjs e caminhada florida!
P.

Ganesha
O deus hindu e seus ensinamentos de sabedoria e humildade.

Ganesha tem um corpo humano com a cabeça de um elefante, e é o deus hindu mais cultuado, com templos em quase todas as aldeias da Índia. Isso porque remove os obstáculos e garante êxito naquilo que se empreende, sendo reverenciado antes de toda atividade espiritual ou mundana. É ele quem abre os caminhos.
A mistura entre homem e elefante deriva da filosofia espiritual hindu e seus ideais de perfeição, de origem milenar. Os sábios indianos, em suas meditações profundas sobre esses ideais, representaram a cabeça do elefante como um símbolo de sabedoria, compaixão e discernimento, atributos essenciais para se atingir a própria perfeição.
As grandes orelhas do elefante ouvem com inteligência e a enorme boca é a sua vontade de viver. Os dois dentes largos e compridos são, sugestivamente, a “emoção” (o da esquerda) e a “razão” (o da direita), assim como cada um dos dois lados do seu corpo está sincronizado da mesma forma. Sendo capaz de arrancar uma árvore ou pegar um amendoim com delicadeza, Ganesha é fonte de ensinamentos sobre as oscilações que fazem parte do mundo, ajudando a sabermos como nos comportar quando uma mudança muito brusca ocorre.
Contudo o marfim esquerdo está quebrado, simbolizando o domínio da sabedoria sobre os sentimentos na busca da perfeição. Os olhos de elefante, que enxergam tudo como sendo maior do que é, atestam a sua humildade e abandono do orgulho, na busca pela plenitude.
Ganesha, conhecido como um deus que abre caminhos, pode ser um dos destinos das suas orações e meditações nesse início do ano novo astrológico, para que você tenha 12 meses de boas semeaduras e colheitas até o próximo Outono.
Por: Dimitri Camiloto
Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/astrologia/artigo.aspx?cp-documentid=18865745

Nenhum comentário: